Lula exonera diretores da EBC e nomeia jornalista que denunciou assédio. Segundo o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Paulo Pimenta, a troca na diretoria foi "o início da mudança na gestão" da estatal

Agência Estado
postado em 15/01/2023 16:15 - Correio Braziliense
 (crédito:  Marcello Casal JrAg..ncia Brasil; Marcello Casal Jr/Ag..ncia Brasil)
(crédito: Marcello Casal JrAg..ncia Brasil; Marcello Casal Jr/Ag..ncia Brasil)
 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva editou decreto em que exonera quase toda a diretoria da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). A destituição incluiu o presidente, o diretor-geral e os diretores de Jornalismo, Administração e Operações. Apenas o diretor de Conteúdo e Programação, Denilson Morales da Silva, continua no cargo.

O decreto, publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), na noite de sexta-feira (13/1) ainda nomeia a jornalista Kariane Costa como a nova diretora-presidente para o órgão, de forma interina, com prazo de gestão até 30 de outubro de 2023.

Segundo o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Paulo Pimenta, a troca na diretoria foi "o início da mudança na gestão" da estatal. Os cinco diretores exonerados eram da gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e estavam no comando da EBC durante a cobertura dos ataques às sedes dos três Poderes, em Brasília.

Em nota oficial, o Palácio do Planalto informa que a nova presidente da estatal, é representante dos empregados no Conselho de Administração da empresa e "conduzirá o processo de transição para nova gestão, a ser implementada nos próximos meses". A jornalista agradeceu a indicação em suas redes sociais, dizendo que estaria à frente do que ela chamou de "retomada da missão da EBC".

Assédio

A jornalista Kariane Costa é profissional da EBC há mais de dez anos. Entre agosto de 2012 e fevereiro de 2014 atuou como editora e, atualmente, é representante dos empregados no Conselho de Administração da empresa (Consad). No entanto, antes de sua indicação à diretoria, Kariane estava em processo de demissão, acusada de cometer injúria e difamação contra gestores da estatal.

O processo começou em 2021, quando Kariane buscou a Ouvidoria da EBC para pedir apuração de denúncias de casos de assédio moral supostamente cometidos por gestores. A empresa respondeu entrando na Justiça, acusando a jornalista dos crimes de injúria e difamação. O processo levou a Comissão de Sindicância da EBC a recomendar sua demissão em agosto de 2022.

Em novembro, o caso passou a tramitar na Controladoria-Geral da União (CGU), depois que a Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal pediu apuração de suposta perseguição de servidores por parte da EBC.

O senador Humberto Costa (PT-PE), presidente da Comissão, declarou nos ofícios encaminhados aos órgãos competentes que a "perseguição àquela jornalista (Kariane) integra o quadro de assédio moral e perseguição política que tem sido contumaz naquela empresa e que é objeto de amplo repúdio entre os órgãos de representação da categoria".

Estatal de comunicação

A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) é uma empresa pública de comunicação criada em 2007, no segundo mandato de Lula, como canal de divulgação do Governo Federal. Dessa forma, assim como foi palanque de Bolsonaro em seus quatro anos de mandato, também seguiu a mesma linha nos governos anteriores, servindo para divulgar ações políticas e disputas ideológicas.

Durante o governo Bolsonaro, em 2021, a emissora estatal chegou a transmitir a novela bíblica da TV Record Os Dez Mandamentos, cujos direitos foram adquiridos por R$ 3,2 milhões.

Também em 2021, o governo decidiu incluir a EBC no Programa Nacional de Desestatização (PND), que abriria portas para estudar alternativas como privatização ou liquidação. Segundo estudo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), a estatal é deficitária. "Sem a subvenção da União a EBC teria um prejuízo de aproximadamente R$ 88,5 milhões, mesmo se considerarmos o repasse de R$ 222,3 milhões da CFRP". Ainda de acordo com o PPI, a audiência da TV Brasil, da EBC, é baixa, ocupando a posição de nona emissora mais assistida no Pais.

A empresa ainda possui duas rádios e 15 afiliadas e detém a Agência Brasil, com 95 milhões de usuários únicos em 2020 e 9,2 milhões de usuários por mês. Na época do estudo, ela tinha capital social de R$ 307,3 milhões e 1.880 empregados.

No início de 2023, o novo governo Lula publicou despacho que determina aos ministros o encaminhamento de propostas que retirem do processo de privatização empresas como Petrobras, Correios e EBC.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

fonte: https://www.correiobraziliense.com.br/politica/2023/01/5066325-lula-exonera-diretores-da-ebc-e-nomeia-jornalista-que-denunciou-assedio.html

 

Perseguida por gestão bolsonarista, jornalista Kariane Costa assume presidência da EBC

Dia marca "renascimento de um projeto de comunicação pública interrompido pelo golpe", disse Kariane no evento de posse

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ) |
 
Ministro Paulo Pimenta e nova presidenta da EBC, Kariane Costa, na cerimônia de posse da nova gestão da empresa - Reprodução

 

A jornalista Kariane Costa assumiu nesta segunda-feira (16) a presidência da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Funcionária concursada da empresa, ela chegou a ter demissão "por justa causa" determinada pela diretoria anterior, no momento mais tenso de uma perseguição da gestão bolsonarista da empresa contra ela e o todo o corpo de funcionários.

Emocionada, ela afirmou, durante a cerimônia em que assinou o termo de posse, que a nomeação é o reconhecimento aos profissionais da casa. Na época do processo que culminou com a decisão de demiti-la, Kariane era representante eleita pelos funcionários no Conselho de Administração (Consad) da EBC e denunciou episódios de assédio à Ouvidoria interna. O processo de demissão foi revertido após pressão dos colegas de empresa, de entidades sindicais e de outros setores da sociedade.

"Fui vítima de uma perseguição covarde, que não encontrava nenhuma base legal. Minha demissão, sem qualquer motivo real, tornou-se possibilidade completa, quase inevitável. Foram semanas, noites mal dormidas, reuniões com advogados. Mas não estava sozinha. Tive apoio amoroso do corpo de funcionários da EBC", lembrou a agora presidenta da empresa.

Leia mais: EBC é condenada a pagar R$ 200 mil por assédio moral coletivo

O evento de posse, na sede da EBC, em Brasília, reuniu dezenas de empregados e empregadas, que aplaudiram a fala da colega que assume a cadeira mais importante da estatal. Kariane prometeu trabalhar para que a empresa sirva para dar espaço a pessoas marginalizadas pela mídia comercial, como negros e negras, quilombolas, indígenas e pessoas LGBTQIA+.

"Vocês vão encontrar trabalhadores e trabalhadoras ansiosos, cheios de vontade de reconstruir essa empresa. Hoje é um dia especial não só para mim. É o dia do renascimento de um projeto de comunicação pública iniciado em 2007 e interrompido pelo golpe", complementou a jornalista.

Além de Kariane, a equipe de transição da EBC contará com outras quatro mulheres em posições-chave: a também jornalista concursada da casa Juliana Cezar Nunes; a ex-presidenta do Conselho Curador da empresa (extinto ainda no governo de Michel Temer - MDB) Rita Freire; e as jornalistas Nicole Briones e Flávia Filipini, indicadas pela equipe do ministro da Secretaria de Comunicação da Presidência, Paulo Pimenta.

"As palavras da Kariane já mostraram todo o desafio que temos. Me emocionei ao chegar aqui, por perceber que a EBC está assumindo seu destino. Percebendo que trabalhadoras e trabalhadores têm o projeto de comunicação pública como prioridade. Trago aqui a força, o carinho e o apoio de um Conselho Curador cassado", destacou Freire, lembrando que as intromissões na EBC, poucos dias após o golpe que afastou a presidenta Dilma Rousseff (PT), estiveram entre as primeiras medidas de Temer após assumir interinamente a presidência.

:: Bolsonarista que participou de ato golpista é primeira exonerada na EBC após mudança de governo ::

Paulo Pimenta prometeu um processo de transição "democrático, transparente e com diálogo". Ele afirma contar com os funcionários concursados para definir "um projeto de futuro" para a EBC, e agradeceu ao coletivo dos trabalhadores e trabalhadoras da empresa pela "resistência".

"Votar em 'A' ou 'B' faz parte da democracia. O que nos interessa é o lado que as pessoas estão, no compromisso com a Constituição Federal, com a empresa pública. O que nos divide, não é a eleição. O que nos divide é o lado que as pessoas ficaram no dia dos atos criminosos contra a democracia", disse o ministro aos funcionários da empresa.

Edição: Nicolau Soares

fonte: https://www.brasildefato.com.br/2023/01/16/perseguida-por-gestao-bolsonarista-jornalista-kariane-costa-toma-posse-na-presidencia-da-ebc

 

Jornalista Kariane Costa toma posse no comando da EBC

Nova presidenta conduzirá o processo de transição da empresa pública

  

Publicado em 16/01/2023 - 08:54 Por Agência Brasil - Brasília

A posse da nova presidenta da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), a jornalista Kariane Costa, será empossada nesta segunda-feira (16), às 11h na sede da empresa, em Brasília. Kariane ficará encarregada de conduzir o processo de transição da empresa pública para uma nova gestão.

“Responsável pela transição para nova gestão, a ser implementada nos próximos meses, ela também assume, interinamente, a Diretoria-Geral com o desafio de restaurar o caráter público, democrático e plural da EBC”, diz nota da empresa, ao reafirmar o papel constitucional da estatal de colaborar para a complementaridade dos sistemas público, privado e estatal de comunicação.

A cerimônia de posse contará com a presença do ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência (Secom), Paulo Pimenta, de quem partiu a orientação por uma transição a ser conduzida por trabalhadoras e trabalhadores concursados da empresa, por representantes da sociedade, bem como por profissionais da área.

Outras quatro mulheres já foram anunciados pelo ministro para assumir cargos de gestão, durante o processo de transição: Rita Freire, presidente do Conselho Curador da EBC cassado após a posse do presidente Michel Temer; Juliana Cézar Nunes, empregada concursada da empresa; e as jornalistas Nicole Briones e Flávia Filipini.

decreto que colocou a representante dos empregados no Conselho de Administração (Consad) da EBC foi publicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em edição extra do Diário Oficial da União de sexta-feira (13).

Perfil

Graduada em Jornalismo, Kariane Costa Silva Oliveira tem 41 anos e mais de 18 anos de experiência na área. Concursada da EBC desde 2012, foi jornalista da Ouvidoria, repórter do radiojornalismo, sendo setorista do Palácio do Planalto e do Congresso Nacional. Foi finalista em 2018 do prêmio Vladmir Herzog pela reportagem O Povo Venezuelano e a Crise.

Ainda pela EBC, foi colaboradora na produção de matérias em espanhol para a Radioagência Nacional. Atuou como colaboradora da Rádio Nacional da Argentina com entradas sobre a situação política e econômica do Brasil. Foi também correspondente e comentarista política para rádio Blu-Rádio; e trabalhou no Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da UnB.

Kariane foi integrante da Comissão de Empregados da EBC em 2016 e representante no Conselho de Administração desde 2021.

Edição: Denise Griesinger

fonte: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2023-01/jornalista-kariane-costa-toma-posse-hoje-no-comando-da-ebc


Logomarca NPNM

Inscreva seu email

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Cfemea Perfil Parlamentar

Aborto Legal

aborto legal capa

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...