Julgamento durou mais de 12h no Tribunal do Júri de Sobradinho. Leandro foi considerado culpado por matar a psicóloga Melissa Mazzarello

 

Thalita Vasconcellos/Metrópoles
Grupo de pessoas em frente ao Tribunal do Júri de Sobradinho pedindo por Justiça. Seguram cartaz pedindo Todos pela Nossa Mel

Após mais de 12 horas de julgamento, o Tribunal do Júri de Sobradinho condenou Leandro de Barros Soares pelo crime de feminicídio. Ele foi sentenciado a 25 anos 6 meses de reclusão por homicídio triplamente qualificado, sendo por motivo torpe (ciúme), métodos cruéis (asfixia) e feminicídio. A decisão ocorreu na noite desta terça-feira (8/8).

O caso ocorreu em 2021, quando Leandro matou a esposa, a psicóloga Melissa Mazzarello de Carvalho, asfixiada.

O julgamento teve início às 10h desta terça, com os depoimentos do pai e do irmão de Melissa. Também foram ouvidos um policial que registrou agressão anterior sofrida pela vítima, uma amiga com quem ela teria confidenciado episódios de violência doméstica e parentes de Leandro.

No julgamento, o réu detalhou o dia 17 de junho de 2021 e confessou ter asfixiado a mulher.

Buscou os filhos após o crime

Leandro teria buscado os filhos na escola após matar Melissa. Em depoimento, ele disse que no dia anterior viu uma conversa dela com uma amiga e afirmou que a mulher teria usado a palavra traição na troca de mensagem.

Segundo ele, no dia seguinte, quando percebeu a esposa psicóloga fazendo atendimento on-line e o celular dela estava em outro cômodo, ele afirmou ter pegado o aparelho para ler as mensagens.

Quando Melissa finalizou o atendimento, viu o marido com o aparelho e tentou tomar dele. Neste momento, Leandro se descreve como “imprudente” ao tentar afastar a esposa e “por acidente” teria a esganado.

Relembre o caso

Em 17 de junho de 2021, Melissa foi encontrada morta em casa, em Sobradinho, caída ao lado da cama. A suspeita era de que a morte tivesse sido causada por esganadura, pois a polícia não havia encontrado sinais de arrombamento no imóvel.

Um ano antes do feminicídio, a vítima havia registrado boletim de ocorrência por violência doméstica. Leandro era apontado como suspeito do assassinato desde o início das investigações. O marido de Melissa foi preso no mesmo dia da morte dela, na 307 Sul.

A vítima oferecia atendimento em psicoterapia on-line e tinha um canal no YouTube, no qual falava sobre assuntos relacionados à maternidade. Além disso, trabalhava como professora no Centro de Ensino Santa Rita de Cássia, em Sobradinho. Melissa deixou dois filhos, hoje com 11 e 8 anos, frutos do relacionamento com Leandro.

fonte: https://www.metropoles.com/distrito-federal/leandro-de-barros-e-condenado-a-25-anos-por-matar-psicologa-em-2021

 


Coloque seu email em nossa lista

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...