O crime ocorreu em Vicente Pires. O autor é da mesma cidade dos pais da vítima e passou um final de semana na casa da família, quando cometeu duas vezes o crime e ameaçou a menina caso ela contasse o ocorrido

 

 

Correio Braziliense
postado em 11/05/2023 16:34
 (crédito: Lucas Pacífico/CB/D.A Press)
(crédito: Lucas Pacífico/CB/D.A Press)
 

Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, nesta quinta-feira (11/05), um homem por ter cometido crime de estupro. A prisão foi deflagrada pela 38ª Delegacia de Polícia, na operação Rapist, em Santa Maria, local onde atualmente reside o criminoso.

Segundo o que foi apurado pela Polícia Civil, o autor estuprou, duas vezes, a filha de um casal de amigos, que tinha 12 anos de idade. Os fatos ocorreram depois que os pais da menina permitiram que ele passasse a frequentar e a dormir na residência da família.

A vítima, que era virgem até então, não consentiu com as práticas sexuais realizadas, e foi forçada pelo autor a manter com ele duas conjunções carnais em diferentes dias. O primeiro estupro ocorreu logo após os familiares da vítima permitirem que o autor, que é da mesma cidade dos pais da vítima e, na época, morava do Entorno do DF, passasse um final de semana na casa da família.

Na ocasião, o autor do crime, durante à noite, se aproveitou do fato de apenas ele e a vítima estarem acordados, assistindo televisão no sofá da sala, e se aproximou da adolescente, colocou o dedo indicador em seus lábios para que ela ficasse calada, deitou a menina no sofá, segurou as suas mãos e praticou o crime. Após o ato consumado, rapaz ameaçou a vítima, dizendo que ela não deveria contar o ocorrido a ninguém.

"Ficar calada"

No final de semana seguinte ao primeiro estupro, o autor dormiu novamente na residência da família da vítima e cometeu o crime novamente. Assim como na primeira vez, o segundo ato criminoso foi cometido também durante o período noturno, enquanto todos na casa dormiam. O autor agiu de maneira parecida: buscou a vítima em seu quarto, a levou para a sala e novamente manteve conjunção carnal com ela e, mais uma vez, a ameaçou, dizendo que ela deveria ficar calada.

Após as ameaças, a vítima relatou o ocorrido para sua mãe, que procurou de imediato a PCDF e registrou um boletim de ocorrência para que as medidas cabíveis fossem tomadas. Depois de a mãe da menina ter denunciado o rapaz pelo crime, o autor enviou mensagens de áudio confessando, em parte, os crimes cometidos e pedindo que eles não procurassem a polícia.

Durante a investigação realizada pela 38ª DP, a vítima foi ouvida em depoimento especial e foi encaminhada ao IML para a realização do exame de corpo de delito. O crime foi constatado pelo exame.

Somadas, as penas dos crimes praticados podem chegar a 30 anos de prisão.


Inscreva seu email

Logomarca NPNM

Cfemea Perfil Parlamentar

Aborto Legal

aborto legal capa

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...