Quase lá: Governadora do RN abriu 3º Encontro nacional da Marcha Mundial das Mulheres em Natal

Evento reúne mais de mil mulheres de todo o Brasil para debater direitos e combate à violência; presença da ministra Aparecida Gonçalves destaca compromisso governamental

 


Por Joana Oliveira
 
Governadora do RN abre 3º Encontro nacional da marcha mundial das mulheres em Natal, neste Sábado (06)

Sandro Menezes/Assecom

 

A governadora Fátima Bezerra participou da abertura do 3º Encontro Nacional da Marcha Mundial das Mulheres “Nalu Faria” que aconteceu neste sábado, 6 de julho, no auditório da Escola do Governo. O evento, que se estenderá até o dia 9 de julho, reúne mulheres de todo o Brasil em debates e seminários voltados para temas cruciais na defesa dos direitos das mulheres e o combate à violência.

Na ocasião, a governadora Fátima Bezerra destacou a importância do encontro e da participação da ministra das Mulheres, Aparecida Gonçalves, e reafirmou o compromisso do Governo do RN com a temática.

“Quero expressar aqui a alegria do Rio Grande do Norte em sediar este encontro nacional da Marcha Mundial das Mulheres. Contamos com a participação de mais de mil mulheres vindas de vários lugares do Brasil. A presença da nossa ministra aqui é muito significativa, pois simboliza o compromisso do Governo Federal com a agenda de defesa dos direitos das mulheres. Este encontro, sobretudo, renova nossa mobilização social para que não haja retrocessos e para que possamos avançar cada vez mais em direção a uma vida com direitos, dignidade e sem violência”,

Com a presença da ministra das Mulheres, Aparecida Gonçalves, o encontro homenageou Nalu Faria, feminista e uma das figuras mais importantes da militância nacional, falecida em outubro de 2023. Nalu foi coordenadora da Marcha Mundial das Mulheres e integrante da Sempreviva Organização Feminista, deixando um legado inspirador para a luta pelos direitos das mulheres no Brasil.

“Este é um momento muito importante. As mulheres estão mostrando que sempre estiveram nas ruas, sempre estão mobilizadas, com a capacidade de pensar e reinventar a história e o Brasil. A Marcha Mundial das Mulheres mais uma vez demonstra isso. São mais de mil mulheres fazendo um debate político de conjuntura, garantindo e mostrando que o lugar da mulher é onde ela quiser”, destacou a ministra Aparecida Gonçalves.

Durante o encontro, a Secretaria de Estado das Mulheres, da Juventude, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (Semjidh) ofereceu o serviço do Ônibus Lilás, unidade móvel dedicada à prevenção da violência contra a mulher e à ouvidoria de direitos humanos.

A ação se soma a diversas outras iniciativas do Governo do RN no enfrentamento à violência contra as mulheres e na promoção da igualdade de gênero, como a reativação do Comitê Estadual Intersetorial de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar Contra as Mulheres e a criação do Fundo Estadual de Políticas para as Mulheres.

A Marcha Mundial das Mulheres, organizada a partir de uma perspectiva anticapitalista, internacionalista e antirracista, está presente em 21 estados brasileiros e em cinco regiões do mundo, incluindo as Américas, África, Ásia-Oceania, Europa, Norte da África e Oriente Médio.

“Nesses quatro dias, discutiremos várias questões. Vamos afinar nosso debate sobre a conjuntura e o impacto na vida das mulheres, discutir nossas lutas e resistências, e fortalecer nosso processo de organicidade. A partir desse encontro, também definiremos uma agenda de lutas para o próximo período”, explica Rejane Medeiros, coordenadora estadual da Marcha e responsável pela organização do encontro na capital potiguar.

Um ato público será realizado na segunda-feira (08). “É um momento importante em que as militantes da marcha, assim como representantes de movimentos aliados, estarão presentes para nos fortalecermos mutuamente, construir a agenda conjuntamente e avançar nas políticas públicas para as mulheres no Brasil”.

Acompanharam a governadora as secretárias estaduais Olga Aguiar, das Mulheres, e Iris Oliveira, da Assistência Social, a secretária extraordinária da Cultura, Mary Land Brito, e a adjunta da Administração Penitenciária, Armeli Brennand. Participaram, ainda, a deputada federal Natália Bonavides, a deputada estadual Isolada Dantas, as vereadoras Brisa Bracchi, de Natal, Rayssa Aline, de Currais Novos Thabatta Pimenta, de Carnaúba dos Dantas.

Também participaram do dispositivo de abertura: Maria Fernanda Marcelino – coordenação Nacional da Marcha Mundial das Mulheres; Amanda Corcino – secretária Nacional da Mulher Trabalhadora; Steffani Maria – diretora de Mulheres da União Nacional dos Estudantes; Lucineia Freitas – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra; Mariah Fernandes – CONAQ Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos; Melayne Macedo – CMP Central de Movimentos Populares; deputada Federal Ana Pimentel: vereadora em representação das vereadoras militantes da Marcha Mundial das Mulheres; Maria Gonçalves – MAB Movimento dos Atingidos por Barragens e Mazé Moraes – Marcha das Margaridas e Marcha Mundial das Mulheres.

FONTE/CRÉDITOS: Novo Notícias
 
 

Matérias Publicadas por Data

Artigos do CFEMEA

Coloque seu email em nossa lista

lia zanotta4
CLIQUE E LEIA:

Lia Zanotta

A maternidade desejada é a única possibilidade de aquietar corações e mentes. A maternidade desejada depende de circunstâncias e momentos e se dá entre possibilidades e impossibilidades. Como num mundo onde se afirmam a igualdade de direitos de gênero e raça quer-se impor a maternidade obrigatória às mulheres?

ivone gebara religiosas pelos direitos

Nesses tempos de mares conturbados não há calmaria, não há possibilidade de se esconder dos conflitos, de não cair nos abismos das acusações e divisões sobretudo frente a certos problemas que a vida insiste em nos apresentar. O diálogo, a compreensão mútua, a solidariedade real, o amor ao próximo correm o risco de se tornarem palavras vazias sobretudo na boca dos que se julgam seus representantes.

Violência contra as mulheres em dados

Cfemea Perfil Parlamentar

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

legalizar aborto

...