Quase lá: Rede de Mulheres Negras do Nordeste convoca ativistas para construção do Comitê Regional rumo à Marcha das Mulheres Negras por Reparação e Bem Viver

Podem se inscrever e participar ativistas negras individuais ou participantes de organizações sociais que atuam com centralidade no combate ao racismo patriarcal em qualquer estado da Região Nordeste

 

Odara – Instituto da Mulher Negra - jun 20, 2024

Reuniao do GT Regional Nordeste ODARA

 

Movimentos de Mulheres Negras de todo Brasil estão em preparação para a realização da Marcha das Mulheres Negras por Reparação e Bem Viver, que pretende levar 1 Milhão de Mulheres Negras para marcharem em Brasília, em novembro de 2025. Como parte do processo de construção deste momento histórico, a Rede de Mulheres Negras do Nordeste está convocando Mulheres Negras ativistas individuais e de movimentos sociais em geral que atuam com centralidade no combate ao racismo, para se unirem em uma reunião virtual para a construção do Comitê Regional da Marcha, que será responsável por pensar e coordenar, nos nove estado da região, estratégias de mobilização rumo ao ato de 2025.

A reunião acontecerá na próxima quinta-feira, 27 de junho, às 19h, e as interessadas em participar devem se inscrever através do link, até as 12h do dia 27.

No Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial, 21 de março, cerca de 81 organizações do movimento de mulheres negras realizou um levante em 17 estado do Brasil, e na Argentina, para lançar a Marcha das Mulheres Negras por Reparação e Bem Viver, que também vem sendo chamada de 2ª Marcha Nacional de Mulheres Negras. 

A primeira edição do evento aconteceu em 2015, reunindo cerca de 100 mil mulheres na Marcha das Mulheres Negras contra o Racismo, a Violência e pelo Bem Viver. Em 2025, o movimento vai às ruas reafirmando as mesmas temáticas, para denunciar as contínuas violações que afetam as populações negras diariamente, além de exigir Reparação Racial pela escravidão e enriquecimentos fruto da exploração negra, e reafirmar o Bem Viver como projeto de sociedade defendido pelas mulheres negras para o Brasil.

A expectativa de 2025 é reunir 1 milhão de mulheres negras na capital federal. Para isso, a Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB), a Rede de Mulheres Negras do Nordeste (RMNN), a Rede Fulanas – Negras da Amazônia Brasileira e o Fórum Nacional de Mulheres Negras seguem em mobilização para construir essa grande agenda de incidência política. 

Inscreva-sse e participe! Junte-se a nós nesta luta pelos nossos direitos, combatendo o racismo, a violência de gênero e todas as formas de discriminação. É hora de ampliar nossas vozes e garantir nossa participação ativa na construção de um futuro mais justo e igualitário. 

Serviço: 

O quê: Reunião para construção do Comitê Regional Nordeste rumo à Marcha de Mulheres Negras por Reparação e Bem Viver – 2025

📅 Data: 27 de junho
🕒 Horário: 19h
📍 Local: Plataforma Virtual

✊🏿 Para se inscrever, preencha o formulário: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeyJoc8bwcAvF0g6cMjr4Ziq9FBgkb9twTLhgJZ_OhkE5oWfA/viewform?vc=0&c=0&w=1&flr=0 

Para mais informações, entre em contato com a Rede de Mulheres Negras do Nordeste: 

  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • (71) 3561-2860

Matérias Publicadas por Data

Artigos do CFEMEA

Coloque seu email em nossa lista

lia zanotta4
CLIQUE E LEIA:

Lia Zanotta

A maternidade desejada é a única possibilidade de aquietar corações e mentes. A maternidade desejada depende de circunstâncias e momentos e se dá entre possibilidades e impossibilidades. Como num mundo onde se afirmam a igualdade de direitos de gênero e raça quer-se impor a maternidade obrigatória às mulheres?

ivone gebara religiosas pelos direitos

Nesses tempos de mares conturbados não há calmaria, não há possibilidade de se esconder dos conflitos, de não cair nos abismos das acusações e divisões sobretudo frente a certos problemas que a vida insiste em nos apresentar. O diálogo, a compreensão mútua, a solidariedade real, o amor ao próximo correm o risco de se tornarem palavras vazias sobretudo na boca dos que se julgam seus representantes.

Violência contra as mulheres em dados

Cfemea Perfil Parlamentar

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Logomarca NPNM

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

legalizar aborto

...