Quase lá: Carol Dartora defende pluralidade e ampliação de cotas étnico-raciais no serviço público

O PL 1958/2021, se aprovado, será um marco na luta por igualdade e inclusão no Brasil, reforçando a diversidade no serviço público e proporcionando oportunidades para grupos historicamente marginalizados

 

PT na Câmara - 20/06/2024

Carol Dartora deputada pt pr

Deputada Carol Dartora. Foto: Divulgação Mandato

 

A deputada Carol Dartora (PT-PR) destacou, em discurso na Câmara, nessa quarta-feira (19/6), a importância da aprovação do projeto de lei (PL 1958/2021), conhecido como PL de Cotas no Serviço Público. De autoria do senador Paulo Paim (PT-RS), o texto propõe a inclusão de indígenas e quilombolas no sistema de reservas de vagas em concursos públicos, atualmente destinado apenas a pessoas negras.

Segundo Carol Dartora, o projeto é essencial para garantir que o serviço público tenha uma visão cada vez mais plural, além de proporcionar reparação histórica a povos marginalizados ao longo do tempo, como negros, indígenas e quilombolas. “Essas pessoas tiveram negado o acesso à educação, aos serviços e às condições de existência”, ressaltou.

Injustiças históricas

Dartora explicou que o projeto não visa apenas corrigir injustiças históricas, mas também assegurar maior diversidade no serviço público brasileiro. “O texto do querido Paim proporciona, ainda mais, que o serviço público pense para todas e todos aqueles que acessam e que precisam desse serviço e que, cada vez mais, possam pensar nas condições de existência para as populações negras e indígenas”, afirmou.

Atlas da Violência

No seu discurso, Carol Dartora também destacou dados alarmantes do Atlas da Violência de 2024, que revelou um número chocante de homicídios no Brasil em 2022. “Hoje, o Atlas da Violência de 2024 publicou números estarrecedores sobre o ano de 2022. No Brasil, 46.409 homicídios foram registrados, entre eles 49,2% das vítimas são jovens de 15 a 29 anos. Estima-se ainda que 76,5% das vítimas de homicídios sejam pessoas negras, ou seja, uma pessoa negra é assassinada a cada 12 minutos nos últimos 11 anos”, informou.

Dartora enfatizou a urgência do debate sobre cotas, associando-o à urgência de vida e à superação do racismo. “A pressa tem, também, a urgência de vida. Cotas não são esmolas, cotas são reparações e construções de uma sociedade para a superação do racismo”, pontuou.

O PL 1958/2021, se aprovado, será um marco na luta por igualdade e inclusão no Brasil, reforçando a diversidade no serviço público e proporcionando oportunidades para grupos historicamente marginalizados.

Assessoria de Comunicação deputada Carol Dartora

fonte: https://ptnacamara.org.br/carol-dartora-defende-pluralidade-e-ampliacao-de-cotas-etnico-raciais-no-servico-publico/

 


Matérias Publicadas por Data

Artigos do CFEMEA

Coloque seu email em nossa lista

lia zanotta4
CLIQUE E LEIA:

Lia Zanotta

A maternidade desejada é a única possibilidade de aquietar corações e mentes. A maternidade desejada depende de circunstâncias e momentos e se dá entre possibilidades e impossibilidades. Como num mundo onde se afirmam a igualdade de direitos de gênero e raça quer-se impor a maternidade obrigatória às mulheres?

ivone gebara religiosas pelos direitos

Nesses tempos de mares conturbados não há calmaria, não há possibilidade de se esconder dos conflitos, de não cair nos abismos das acusações e divisões sobretudo frente a certos problemas que a vida insiste em nos apresentar. O diálogo, a compreensão mútua, a solidariedade real, o amor ao próximo correm o risco de se tornarem palavras vazias sobretudo na boca dos que se julgam seus representantes.

Violência contra as mulheres em dados

Cfemea Perfil Parlamentar

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Logomarca NPNM

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

legalizar aborto

...