No dia 16 de novembro, cerca de 8 mil militantes do movimento negro e de direitos humanos percorreram a Esplanada dos Ministérios com palavras de ordem pelo direito à vida e pelo fim do racismo. Entre as exigências está a urgente implementação de políticas públicas que efetivamente contemplem a população afrodescendente brasileira.

Para o Congresso foi cobrada a aprovação do Estatuto da Igualdade Racial com o Fundo de Promoção da Igualdade Racial, fundamental para a viabilização de recursos para que o Estatuto saia do papel.

@s manifestantes tiveram reuniões com o Ministério da Justiça, a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, a Secretaria Geral da Presidência, a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, a presidência da Câmara dos Deputados e com o presidente Lula.

Em audiência com o presidente, foi entregue o documento "Manifesto à Nação contra o Racismo e pelo Direito à Vida". Em resposta à Marcha o presidente afirmou: "Vocês estão convidados a voltar aqui para que possamos discutir esse documento e vocês não ficarão sem respostas. Sei que esperam respostas positivas e não negativas". Para o presidente o problema do racismo no Brasil "não se resolve apenas com uma boa Constituição e uma bela Lei".

Com informações do Boletim Eparrei Online - Casa de Cultura da Mulher Negra (Santos-SP).

   
Categoria
 
Alerta Feminista

Radar Feminista do Congresso

Notícias

Artigos e Textos

Djumbai

Diálogos e Mobilizações

Publicações
 
 
 
Artigos Recentes
 
 
 
 
CFEMEA
O Centro Feminista de Estudos e Assessoria é uma organização não-governamental, sem fins lucrativos.
 
AUTOCUIDADO E CUIDADO ENTRE ATIVISTAS
   
UNIVERSIDADE LIVRE FEMINISTA
   
   
LINHA DO TEMPO CFEMEA
 
 
+55 61 3224 1791
   
  FALE CONOSCO